Notícias

MERCADO FÍSICO Na onda de alta, soja brasileira também se valoriza

15 de maio de 2019 - 15:39

MERCADO FÍSICO

Na onda de alta, soja brasileira também se valoriza

"Agricultores brasileiros e argentinos, acertadamente, negociaram grandes volumes de soja”, diz T&F

 

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a terça-feira (14.05) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas subindo quase 2 reais/saca, para R$ 77,07/saca, ou cerca de 2,57%. Isso elevou os ganhos da exportação no mês para 3,64%. 

No mercado interno os preços médios dos mercados de lotes também subiram significativamente, cerca de 2,73%, para R$ 71,59/saca, elevando os ganhos do mês para 2,08%. “No dia em que Chicago subiu 26 cents/bushel, ou 1,9%, o dólar, embora tenha fechado em queda de 0,09%, atingiu alta de 0,50% durante a sessão. Os agricultores brasileiros e argentinos, acertadamente, negociaram grandes volumes de soja”, aponta o analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Fernando Pacheco. 

O especialista lembrou que era exatamente isso o que ele vinha recomendando: “Vender quando Chicago e Dólar subissem. Com a alta em Chicago, os prêmios tiveram evolução mista: subiram 5 cents/bushel para maio para +95, caíram 6 cents para junho para +94 e 5 para julho para +105 e subiram 10 cents para agosto para +105. Para a safra nova, o prêmio de março20 caiu 8 cents/bushel para +37 e 2 cents para abril para +30”.

Ainda de acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, ao todo os agricultores brasileiros venderam – apenas nesta terça-feira – nada menos que 800 mil toneladas de soja. “Da Argentina recebemos informação de que os vendedores negociaram cerca de 500 mil toneladas”, completa Pacheco. 

A Céleres revisou para cima sua estimativa para a safra de soja e milho no Brasil em 2018/19. Com produtividade média de 3.247 quilos por hectare, a soja deve alcançar um total de 117,7 milhões de toneladas, acima das 115,8 milhões de toneladas esperadas em abril. Já a produção de milho deve ser de 99,5 milhões de toneladas, contra 97,9 milhões de toneladas projetadas um mês atrás.

Por: Agrolink -Leonardo Gottems

Imagens - Revista AGRORURAL

O seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para ter uma melhor experiência e visualização deste site. Atualize o seu navegador agora

×